sexta-feira, 27 de maio de 2011

NOS CAMINHOS DE SANTIAGO EM BTT - PELO COBRABTT

Quatro amigos, quatro companheiros das bicicletas (Estrada de Sousa, Barcia Soares, Lopes e Soares (eu) - o cobrabtt), meteram-se na aventura de efectuar o percurso dos trilhos de Santiago (Caminho Português)este percurso efectua-se desde o Porto a Santiago de Compostela. Foram precisas várias reuniões, feitos alguns convites a pessoal que normalmente nos acompanha e depois de ouvidos todos começou-se a trabalhar na logistica. Ficou decidido que esta aventura iria ser em 19 de Maio de 2011 e regressariamos a Portugal a 22 de Maio de 2011, de coimboio utilizando a empresa (RENFE) e a CP a partir de Vigo. É mais complicado viajar com as bikes nos comboios da RENFE pois só podem ser transportdas 3 bikes por comboio, mas se for bem organizado consegue-se, pois há comboios de Santiago para Vigo mais ao menos de hora a hora. Acabamos só de efectuar o percurso estes quatro companheiros pois os restantes que também estavam para ir, meu filho Ricardo, meu irmão Hemrique e o companheiro das lides BTTistas Pereira, não o poderam fazer por motivos profissionais.
A PRIMEIRA ETAPA: PORTO - BARCELOS - PONTE DE LIMA - Esta etapa (até Barcelos) é para o pessoal começar a ambientar-se na bike, (pois normalmente elas têm os alforges) o que dá uma condução diferente. É muito rolante, sem grandes desniveis no percurso, dá para confratenizar, tirar algumas fotos. Por volta das 12H30M já estavamos a tirar fotos junto de um dos muitos Galos de barro que por aquela cidade abundam e depois de carimbar a credencial no Posto de Turismo, partimos na busca de uma esplanada para comer alguma coisa. O almoço foram 2 "pregos" no pão acompanhados de uma cerveja, e para terminar um café. Logo a seguir toca a montar nas bikes e lá rumou o grupo a caminho de Ponte de Lima, também este percurso é plano, sem desniveis a assinalar, dá para ser feito a alguma velocidade pois os trilhos são bons o que convida a andar. Por volta das 16h30m já estava o grupo junto do Albergue de Ponte de Lima. Depois de termos feito a inscrição (os ciclistas são os ultimos a ser admitidos), fomos para a camarata e depois de um banho retemperador, o organizar os materiais a levar na etapa seguinte (camisola, calçoes, meias e arejar os sapatos de ciclismo, umas massagens nos musculos), lá rumamos nós para a Cidade de Ponte de Lima para desfrutarmos de um arroz de sarrabulho e de umas malgas de vinho verde. Claro que às 22 horas já estavamos no albergue pois é a essa hora que ele fecha e quem não estiver lá dentro, também não entra mais (dorme cá fora).
A SEGUNDA ETAPA: PONTE DE LIMA - VALENÇA - TUI - REDONDELA - Esta é sem sombra de dúvida a etapa a "doer" o terreno passa a ser montanhoso, muitas subidas, muitas descidas, grandes trilhos, muito frescos cheios de muita pedra "solta" muito granito e de um verdejante de deslumbrar. É para ser feito numa velocidade moderada, já que temos a subida, não muito acentuada, mas desgastante até há parte mais dificel do percurso "A subida da cruz dos franceses", aqui ninguém anda em cima da bike, empurra a bike por um monte acima, num trilho cheiro de pedras graniticas, dificel de escalar, com cerca de 900 metros com uma inclinação deveras acentuada. A malta chega lá acima completamente estafada. Depois é uma descida, umas vezes feita em cima da Bike, outras não, pois o trilho além de longo também é deveras perigoso devido às muitas pedras soltas e aos muitos sulcos escavados pelas águas no terreno. Nesta parte da descida é preciso muito cuidado pois é deveras dificel efectuar esta parte. Depois de descer o "monte" é um misto de rolar, fazer umas subidinhas não muitas acentuadas e logo nos aparece a cidade de Valença. Fomos carimbar a credencial no Albergue de Valença, passamos a Ponte Internacional sobre o Rio Minho e toca a subir pelos caminhos medievais para a Catedral de Tui. Eram cerca das 13H locais e já estavamos sentados numa esplanada junto à Camara Municipal de TUI a almoçar um "bocadilho" (espécie de sande) acompanhado de uma "canha" (espécie de fino, mas servido em caneca) ou então uma "Estrela da Galicia". Depois é sempre a rolar passando por Porrinho onde existe uma recta longa, que dá para rolar, isto se a malta estiver bem preparada fisicamente, mais alguns trilhos mas nada exigentes, num misto de sobe e desce e lá foi o grupo até chegar a Redondela. Em Redondela o Albergue estava cheio, a empregada, não gostava de ciclistas e o grupo optou por procurar um albergue privado. Foi onde ficamos (10 euros cada) num quarto com 2 bliches e sem a obrigatoriedade de entrar as 22 horas. depois de mais uma banhoca, uma massagem nos musculos das pernas e da preparação do material a usar no dia seguinte, lá rumamos nós para uma das muitas esplanadas da cidade onde bebemos uma cerveja, até fazer tempo para o jantar. O jantar foi um grande naco de carne grelhado acompanhado de uma boa garrafa de vinho da zona. Logo depois um passeio para descomprimir os musculos. Por volta das 23h30 já estavamos no albergue.
TERCEIRA ETAPA REDONDELA - PONTEVEDRA - CALDAS DE REIS - PADRON - SANTIAGO COMPOSTELA - Mais uma etapa para rolar, apenas com uma dificuldade a subida longa, desgastante e também com algumas zonas que não dá para andar na BIKE até Pontevedra. Nesta parte do percurso 8a subir) também muito verdejante e com caminhos algo tecnicos. Depois é descer com paisagens deslumbrantes (vista de parte da Ria de Vigo) até começarmos a rolar por trilhos duma antiga estrada romana até chegar-mos a Caldas de Reis, local onde almoçamos (novamente bocadilhos e bebemos uma cerveja). Toca a montar na bike a caminho de Padron, também esta parte do percurso é de fazer a rolar, não tem muitas subidas. Em Padron já o pessoal só pensa em chegar a Santiago (já só faltam cerca de 20 Km) esta parte do percurso tem uma pequena dificuldade que é a subida de acesso (feita em terra batida, com muitos kilometros) até chegar ao bairro nos arredores de Santiago. Passando esta dificuldade já só falta a célebre subida do Hospital, esta tem cerca de 600 metros mas com uma inclinação deveras acentuada (utiliza a estrada de acesso ao hospital), para logo depois aparecer a Catedral de Santiago com a sua magnifica praça. Tinhamos concluido o caminho Portugês para Santiago. Tiramos as fotos da praxe na Parça com a catedral em pano de fundo. Logo depois toca a rumar para Hotel "Obradeiro" onde iriamos ficar (custou 30€ a cada um). Mais um banho uma massagem aos musculos doridos e toca a marchar para uma esplanada para beber umas canhas (afinal a malta merecia). Fomos jantar ao Manolo no centro histórico de Santiago e toca a ir dormir pois o corpo estava cansado. EM SANTIAGO (Domingo 22 de Maio) Logo pela manha fomos ao para a loja do Peregrino para recebermos o diploma que se passa para quem efectua o percurso. Depois toca a visitar as lojinhas para procurar os celebres "recoerdos". Logo depois toca a marchar para a Estação ferroviaria de Santiago, para poder apanhar o comboio para Vigo. Em Vigo foi uma longa espera (cerca de 5 horas) pois o comboio da CP só sai de Vigo às 19h30m locais. Chegamos ao Porto por volta das 22 horas. Como resumo foi um passeio espectacular, com uma companhia espectacular e que muito prazer deu a efectuar. Penso que para o ano se irá repetir, isto pelo mesmo caminho, ou então fazendo outro caminho diferente, já que para Santiago de Compostela existem muitos caminhos a efectuar.
Aqui ficam algmas fotos deste magnifico passeio.
Também se pode ver algumas fotos em FACEBOOK - JOSE SOARES JOSE SOARES (fotos)

Four friends, four companions of bicycles (Sousa Road, Barcia Soares Lopes and I'am - the cobrabtt), put him on the adventure of taking a trip along the tracks of Santiago (Portuguese Way) this route is carried out from the port to Santiago de Compostela. It took several meetings, made some calls to people who usually accompanies us and after having heard all started to work in logistics. It was decided that this adventure would be on May 19, 2011 and regressariamos to Portugal on 22 May 2011 to coimboio using the company (RENFE) and the CP from Vigo. It is more difficult to travel with bikes on trains RENFE they can only be transportdas 3 bikes per train, but if it is well organized is achieved because there are trains from Santiago to Vigo more or less every hour. Only ended up making the route these four companions for the rest who were also to go, my son Ricardo, my brother and fellow Hemrique of labors BTTistas Pereira, not, can they do for professional reasons.
THE FIRST STEP: PORTO - BARCELOS - LIMA BRIDGE - This step (up Barcelos) is for staff begin to acclimatise on the bike, (because often they have Satchel) which gives a different driving. It is very moving, with no major gaps in the route gives confratenizar, take some pictures. At about 12:30 we were already taking pictures with one of the many clay roosters that by that city abound and after stamping the credential at the Tourist Office, we start the search for a terrace to eat something. The lunches were 2 "nails" on bread accompanied by a beer, and to complete a coffee. Soon after comes to mount the bikes and headed there the group on the way to Ponte de Lima, also this route is flat, without gaps to report, gives to be done at some speed because the tracks are good that invites walking. Around 16.30 the group was already near the Ponte de Lima Hostel. After we finished registering (cyclists are the last to be admitted), we went to the ward and after a reinvigorating bath, organize the materials to take the next step (shirts, breeches, stockings and air cycling shoes, a massage in the muscles), there we headed us to the Ponte de Lima city to enjoy a sarrabulho of rice and a green wine bowls. Of course the 22 hours we were already at the hostel as it is at this time that it closes and who is not there, did not enter more (sleeps out here).
STEP TWO: LIMA BRIDGE - VALENCIA - TUI - REDONDELA - This is without a doubt the step "hurt" the terrain becomes hilly, many climbs, many descents, great track, very fresh filled with lots of stone "loose" very granite and a green dazzle. It is to be done in a moderate speed, since we have to climb, not very sharp, but exhausting to more dificel part of the course "The rise of the French Cross", here nobody walks on the bike, pushing the bike through a lot above, a rail smell of granitic rocks, dificel to climb, with about 900 meters with a rather steep. The guys get there up completely worn out. Then it's a descent, sometimes made up on the bike, others not, because the rail as well as long indeed is also dangerous because of the many loose stones and many grooves excavated by water on the ground. In this part of the descent you must be careful because it is indeed dificel make this part. After going down the "hill" is a mix of rolling, make a subidinhas not many sharp and logo appears in the city of Valencia. We stamp the credential Hostel in Valencia, spent the International Bridge over the River Minho and touches to rise by medieval roads to Tui Cathedral. It was about 13H local and already were sitting on a terrace next to the City Hall of TUI to lunch a 'bocadilho "(kind of sande) accompanied by a" canha "(a kind of thin, but served mug) or a' Star Galicia ". After the roll is always going through Porriño where there is a long straight, which gives to roll, this is the guys are well prepared physically, plus some tracks but nothing demanding, a mixture of up and down and there was the group to get to Redondela . In Redondela the hostel was full, the maid did not like cyclists and the group decided to look for a private hostel. It was where we stayed (10 euros each) in a room with 2 bliches and without the need to enter the 22 hours. after another banhoca, a massage in the muscles of the legs and the preparation of the material to wear the next day, we headed there for us one of the city's many terraces where we drank a beer, to make time for dinner. The dinner was a great grilled meat loaf accompanied by a good bottle of wine from the area. Soon after a walk to decompress the muscles. At about 23:30 we were already at the hostel.
THIRD STEP REDONDELA - PONTEVEDRA - Caldas de Reis - PADRON - COMPOSTELA SANTIAGO - One more step to roll, only with difficulty the long climb, exhausting and also with some areas you can not walk on BIKE to Pontevedra. In this part of the route 8a up) also very green and ways something technical. Then it down with breathtaking scenery (part of view of the Ria de Vigo) to begin to scroll through tracks of an ancient Roman road until you get them to me to Caldas de Reis, where we had lunch (again bocadilhos and drink a beer). Touches the mount on the bike on the way to Padron, also this part of the course is to make the roll, has many climbs. Padron already staff thinks only reach Santiago (now only missing about 20 Km) this part of the route has a little difficulty is that the rise of access (made in clay, with many kilometers) until you reach the neighborhood around Santiago. Passing this difficulty have just missing the famous climb of the Hospital, this is about 600 meters but with a rather steep (uses the hospital access road), to appear soon after the Santiago Cathedral with its magnificent square. Had completed the English way to Santiago. We took the usual photos in the parka with the cathedral in the background. Soon after touching the head to Hotel "Obradeiro" where we would stay (cost € 30 each). Another bath a massage sore muscles and plays the marching onto a terrace to drink some awkwardly (after all the guys deserved). We went to dinner at Manolo in the historic center of Santiago and plays to go to sleep because the body was tired. IN SANTIAGO (Sunday 22 May) Early in the morning we went to the Pilgrim's store to receive the diploma that goes to who makes the route. After playing to visit the shops to find the celebrated "recoerdos". Soon after touching the march to railway station of Santiago, in order to take the train to Vigo. In Vigo was a long wait (about 5 hours) because the train of CP only out of Vigo to 19h30m sites. We arrived at the Port at about 22 hours. In summary it was a great ride with a spectacular company and gave much pleasure to be made. I think that for the year will be repeated, that the same way, or doing a different way, since for Santiago de Compostela there are many ways to perform.
Here are algmas photos of this magnificent tour.
We could also see some pictures on FACEBOOK - JOSE JOSE SOARES SOARES (photos)

3 comentários:

Henrique Mário Soares disse...

Uma GRANDE jornada que pela tua descrição foi espectacular. Já ví as fotos no "facebook" foi por certo um convivio fantástico e que ficará para sempre na vossa recordação. <um grande abraço para tí e para o Estrada de Sousa, companheiros das "voltas de domingo" e espero numa próxima puder participar convosco. Um abraço e boas pedaladas.

Inês disse...

Foi um prazer cruzar-me com o vosso grupo de ciclistas divertidos pelo caminho. Sou aquela peregrina que ia a subir junto à cruz dos franceses.
3 dias só? a pé custou tanto...
Cumprimentos e boas pedaladas nas próximas aventuras.

Jose Soares (cobrabtt) disse...

Cara Inês
Agradeço o comentario.
Caso queiras ver mais algumas fotos, entra no Facebook e pesquisa Jose Soares Jose Soares, la estao algumas fotos deste maravilhoso caminho efectuado. Talvez para o ano nos encontremos em algum, dos muitos caminhos de Santiago. Prazer em conhecer-te a até um qualquer dia, ou nos caminhos de Santiago ou numa das muitas provas de BTT/DHU que por este país se realizam