quarta-feira, 12 de outubro de 2011

PASSEIO A ESPOSENDE

Segunda Feira dia 03/10/2011, eu e o Saj Jorge Fonseca (companheiro de trabalho e de alguns passeios de BTT), resolvemos fazer um passeio (pois estava-mos de férias) utilizando sempre os caminhos junto ao mar. O encontro foi na Cidade da Póvoa do Varzim, tendo eu (natural e residente do Porto) apanhado o metro que me levaria há Cidade da Póvoa (local onde reside o Saj Jorge Fonseca). Por volta das 10 horas, cheguei há Povoa do Varzim e logo rumamos para junto do mar. Passeio sempre em ritmo baixo, lá pedalamos nós pelas ruas e caminhos (estes utilizados pelos muitos agricultores existentes na zona) até Ofir zona de praia no lado sul da foz do Rio Cavado. Passamos por algumas vilas piscatórias como A-Ver-o-Mar, Apúlia, estas a mais importantes da zona. Passeio bom, pois só assim é que nós conhecemos a verdadeira natureza e trabalho das gentes desta zona. A apanha do sargaço (para depois de seco ser utilizado na agricultura), as explorações agrícolas (onde se cultiva de tudo, batatas, cebolas, nabos, cenouras, couves, etc), também muitas estufas, isto tudo mesmo junto às dunas existentes na zona, as pequenas lotas (zona de venda de peixe), onde os pescadores da zona vendem a sua faina (robalos, polvos e outros peixes e mariscos da zona de costa onde exercem a sua pesca). As vivendas de verão, que estão nesta zona, os pinheirais, as praias magnificas com areais douradas. É verdade que esta zona é um pouco ventosa, mas diga-se que bem bonita, de gentes boas e bem dispostas e de boas comidas, afinal estamos em zona onde se come muito bem. Chegados a Ofir com uma praia bonita, mas que tem as “célebres torres”, que não ficam bem na paisagem, mas alguém neste país as deixou construir, a meu ver mal, pois afinal estão inseridas numa zona protegida, mesmo junto do mar, mesmo em cima da praia, e até ficamos admirados como o mar no inverno ainda não atirou com tudo abaixo. Depois temos a “zona do cabedelo”, língua de areia também com algumas construções (vivendas) com ruelas estreitas, com trânsito condicionado, e com uns passadiços (para se passear a pé, ou de bike), para se poder apreciar a zona lagunar da foz do Cavado, sempre a deslumbrar a Cidade de Esposende (isto do outro lado da margem), zona também não devia ter construção alguma, mas que infelizmente alguém permitiu que lá estejam as casas. Depois desta pequena incursão na zona de Ofir, rumamos para Fão, para depois de atravessar-mos a ponte andarmos pela cidade de Esposende. Saímos na estrada que dá acesso a Famalicão e depois entramos nos trilhos de terra batida que ladeiam a auto-estrada A29, mas já a caminho da Póvoa do Varzim, claro que só conseguimos fazer este caminho até há ponte que atravessa o Cávado, (esta a da auto-estrada), para logo andarmos por zonas rurais, e caminhos até chegarmos novamente até há ponte que atravessa o Cávado, novamente rumo a Fão. Resolvemos que estava na hora de regressar a casa e fizemos o resto do percurso na estrada nacional até há Póvoa do Varzim (eu depois ainda vim até ao Porto), também junto do mar. Foi um bonito passeio, que me agradou efectuar, pois foi numa zona que não conhecia e a companhia também foi excelente. Valeu a pena, qualquer dia há mais.

domingo, 2 de outubro de 2011

PROVA DE DHU - PONTE DE LIMA 01OUT2011

Ponte de Lima, foi palco de mais uma prova de DHU, que o Ricardo participou, o trajecto da prova era o mesmo do ano anterior, com os mesmos saltos, sendo a partida dada no mesmo lugar e a chegada também. Esta prova decorre bem no centro histórico da cidade e até se torna engraçada, apesar de ser uma das provas onde os Pilotos, mais têm de dar ao pedal, verdade seja dita que eles não gostam nada dessa situação, pois as bicicletas, (pelo meno estas de DH) não foram feitas para se pedalar muito. Muitos pilotos inscritos, cerca de 100, muito público a assistir, tanto nos treinos como no decorrer das mangas de classificação. Nesta prova o Ricardo já deu um pequeno salto qualificativo, pois classificou-se no 29º lugar da classificação geral, o que já demonstra que a ida a algumas provas lhe deu alguma experiência, mas tem agora de continuar a treinar, isto durante estes próximos meses, para que para o ano o as competições onde estiver presente ter umas classificações melhores do que este ano. Algumas fotos da prova de Ponte de Lima:

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

PROVA DA TAÇA DE PORTUGAL DE DHU - CRESTUMA 2011

Domingo dia 24Set2011, dia de bom tempo, com algum calor, bom para a prática do DHU. A última prova da Taça de Portugal, realizou-se em Crestuma, localidade junto da barragem com o mesmo nome localizada no Rio Douro. O percurso da prova, com cerca de 1100 metros, muito técnico, com muitas escadas algumas com inclinações muito acentuadas, ruelas estreitas, curvas apertadas, mais parecia um trajecto de uma “favela” brasileira, mas muito espectacular, tanto para os pilotos como para o muito público que apareceu para apreciar os Pilotos e suas máquinas. Cerca de 60 pilotos marcaram presença na prova, não apareceram mais pois também havia uma prova de DHI do regional do Minho, para os lados de Fafe. A prova começava no alto da Vila, logo a descer (em alcatrão), com uma curva para a direita, onde a organização montou um “relevê” na parede de uma casa (obstáculo sempre espectacular para se ver), para logo a seguir a rua se estreitar e muito, com um lanço de escadas em Z algo inclinadas, mais uma ruela a descer, mais umas escadas também em Z para logo se continuar em escadas em curva para a esquerda, um pouco de pedal para logo aparecerem mais escadas, estas com degraus (entre 3 e 4) e patamares também em curva ligeira e aí com cerca de 80 metros de distancia, logo aparecia uma curva muito apertada para a direita, mais pedal uma curva apertada para a esquerda, uma lanço de escadas (estas também muito inclinadas) um patamar onde se tinha de travar a fundo para se fazer mais um lanço de escadas para curvar para a direita numa ruela onde mal dava para passar duas bicicletas lado a lado, uma curva para a esquerda, e era o pedalar para a meta, isto sem antes transpor um obstáculo montado pela organização (onde os pilotos normalmente fazem uns saltos espectaculares), e logo aparecia a linha de meta. Ganhou nesta muito boa prova o Piloto José Manuel Borges, com uma ultima descida espectacular, e também o cobiçado trofeu. O Ricardo continua a sua adaptação aos “Elites”, às provas, (esta também não conhecia) e lá tem andado pelo meio da tabela na classificação geral. Na classe dele tem andado pelo último terço da tabela classificativa. A última manga para ele, foi mais complicada, pois tinha estado no dia anterior (sábado) em Santo Tirso, onde participou no DHU naquela cidade e notava-se que já estava algo cansado tanto a nível de pernas, como de braços e ombros, zonas do corpo mais desgastantes para este tipo de provas. O mapa do percurso: Algumas fotos da prova: Mais fotos em:

sábado, 24 de setembro de 2011

PROVA DE DHU SANTO TIRSO 24SET2011

Sábado, dia um pouco enovoado, com tempo ameno, dia perfeito para uma prova de DHU, esta realizada em Santo Tirso. Como não podia deixar de ser, muitos pilotos conhecidos, muita malta nova, muita moldura humana a ver, um bom trajecto, uns obstáculos montados pela Organização que não estavam mal, muita boa disposição, muita camaradagem entre todos os Pilotos, muita adernalina, resumindo um grande evento Organizado pelo Pessoal do AVENTURA de Santo Tirso. Como não podia deixar de ser o Ricardo, aproveitou esta prova para ganhar experiência, treinar, pois os treinos têm sido poucos e estas provas vão dando a experiência que ele necessita para no próximo ano tentar fazer provas melhores que o que está afazer este ano. Não deixa de ser um dos mais inesperientes a competir este ano como Federado-Elite, mas já não demonstra tanto receio nos saltos e no resto do percurso. O Percuso Fotos da prova. video